Aterro Presente recebe treinamento para uso de armas não letais e motopatrulha

266
08.04.2016 - RJ - Rio de Janeiro - Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Na foto, Grupamento Tatico Movel (GTM), fazem abordagem no Aterro. Foto: Paulo Vitor.

Os agentes da Operação Aterro Presente, uma parceria da Secretaria de Governo com o Sistema Fecomércio RJ, passaram por uma capacitação, no início do mês de abril, para melhorar as abordagens em motopatrulha e aperfeiçoar o uso de tecnologias menos letais, como a pistola taser e o spray de pimenta. Além da aula teórica com instrutores especializados do Batalhão de Choque da Polícia Militar, os agentes ainda puderam fazer simulações.

Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Paulo Vitor.
Foto: Paulo Vitor.

Para o supervisor da Operação Aterro Presente, tenente Gabriel Cavalcanti, as instruções são essenciais para oferecer um bom serviço para a população, garantir a segurança dos policiais e, principalmente, evitar erros na utilização das tecnologias.

Nós costumamos dizer que somos o que fazemos repetidamente. Quanto mais nos qualificarmos, menores são as chances de cometermos falhas. O nosso objetivo é aprimorar cada vez mais a nossa técnica na abordagem cidadã – afirmou Cavalcanti.

08.04.2016 - RJ - Rio de Janeiro - Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Paulo Vitor.
Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Paulo Vitor.

Os policiais que atuam na operação tiveram instrução sobre a abordagem em motopatrulha. Além da habilidade na condução do veículo, o agente precisa dominar diversas técnicas para se aproximar de um suspeito sem colocar a sua vida em perigo. Atualmente, a operação conta com oito motocicletas e os PMs usam uma câmera no capacete para filmar toda a ação.

Uma grande parte das ocorrências da Operação Aterro Presente é feita pelos policiais que circulam de moto e é importante que eles saibam fazer essa abordagem e o desembarque de forma correta – explicou o sargento Márcio Pestana, que deu a instrução de técnicas de abordagem em motopatrulhamento.

08.04.2016 - RJ - Rio de Janeiro - Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Paulo Vitor.
Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Foto: Paulo Vitor.

Alguns cuidados no uso do armamento menos letal podem evitar problemas para o policial e para a pessoa abordada. No caso do spray de pimenta, por exemplo, o jato não deve ser acionado na direção dos olhos sem uma distância mínima de um metro e meio. Caso contrário, de acordo com o capitão Fábio Bomfim, comandante do Grupamento Tático de Ações Rápidas do Batalhão de Choque da PM, o spray pode causar uma lesão na córnea.

A gente sempre tenta salientar que a arma menos letal só deve ser usada quando a conversa não der certo e o policial estiver em uma situação de risco. E é muito importante saber usar corretamente. A tecnologia, se bem utilizada, pode repelir uma agressão sem causar danos aos envolvidos – ressaltou o capitão.

Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Na foto, Grupamento Tatico Movel (GTM), fazem abordagem no Aterro. Foto: Paulo Vitor.
Agentes da operação Aterro Presente, recebem palestra sobre a utilização de armas não letais, No Aterro do Flamengo, zona sul do Rio de Janeiro. Na foto, Grupamento Tatico Movel (GTM), fazem abordagem no Aterro. Foto: Paulo Vitor.


Denúncias podem ser informadas pelo telefone ou WhatsApp:

Disque Aterro Presente: 98496-0114
Disque Lagoa Presente: 96500-5811
Disque Méier Presente: 96507-1200

Fonte: Governo do Rio