Lançamento da campanha de vacinação contra a raiva

4
No dia 30 de agosto, a Vigilância Sanitária lançou a campanha “Se liga, bicho! Raiva é caso sério”, com o objetivo de vacinar 500 mil cães e gatos contra a raiva. O lançamento foi no auditório do Centro Administrativo São Sebastião.

 

O lançamento da campanha foi feito no evento “Dia D contra a raiva”, onde também será realizado o I Simpósio de Raiva Animal, um espaço em que especialistas em zoonoses vão promover um debate sobre a doença e sua profilaxia para profissionais vinculados à rede pública de saúde, como médicos veterinários, médicos, enfermeiros, auxiliares, técnicos, entre outros.

 

Os temas abordados nesse simpósio foram a situação epidemiológica da raiva no Brasil, a raiva animal no estado do Rio de Janeiro, a campanha de vacinação, a experiência do município do Rio na captura e controle urbano de morcegos, a coleta e o envio de material para diagnóstico da raiva e a situação epidemiológica da raiva em herbívoros no estado do Rio de Janeiro.

 

No sábado, dia 2 de setembro, os postos itinerantes começarão a percorrer as comunidades de difícil acesso no município, para levar a vacina aos cães e gatos desses locais. Serão cinco carros adesivados, com dois profissionais e capacidade de vacinar 1.000 animais por dia.  Nesse dia, também inicia a vacinação em 670 postos fixos espalhados por todas as regiões do município. Serão cinco sábados, até o dia 18 de novembro. Cada sábado será numa região administrativa da cidade. No primeiro sábado, os postos estarão nos bairros Saúde, Gamboa, Caju, Santo Cristo, Portuária, Centro, Catumbi, Rio Comprido, Cidade Nova, Estácio, Santa Tereza, Zona Sul, Mangueira, Benfica, São Cristóvão, Praça da Bandeira, Tijuca, Alto da Boa Vista, Maracanã, Vila Isabel, Andaraí, Grajaú, Ilha do Governador e Ilha de Paquetá.

 

Na hora da vacinação, os cães deverão estar com coleira e guia, e os gatos em caixas de transporte apropriadas. Animais com temperamento agressivo devem estar com focinheira. Sintomas como dores no local vacinado, febre e comportamento mais quieto do animal podem ocorrer por até 36h após a aplicação. As vacinas são repassadas pelo Ministério da Saúde, responsável pela aquisição.

 

A raiva é uma doença que compromete o sistema nervoso do homem, sendo incurável e com índice de letalidade próximo a 100%. É uma zoonose viral e todos os mamíferos estão suscetíveis ao vírus da raiva, podendo transmiti-la. Mas cães, gatos e morcegos são os principais transmissores. A vacina é a única maneira de controlar a doença.

 

Caso uma pessoa seja mordida por um desses animais, deve lavar o local machucado imediatamente, com água e sabão. Ao mesmo tempo, deve-se procurar a unidade de saúde mais próxima, onde receberá os primeiros cuidados e será encaminhada para uma das unidades especificas que funcionam como pólo de profilaxia da raiva. Se possível, isolar o animal por 10 dias, para ver o grau de manifestação da doença, e informar se tem dono e o endereço onde habita.

 

A raiva está controlada e sem apresentar registro de casos em humanos há mais de 27 anos no Rio, mas ainda oferece risco à população, pois a cidade conta com um número alto de morcegos, cachorros e gatos, principais transmissores do vírus.

 

Os endereços exatos estão nas tabelas sepradas por data:

 

02 DE SETEMBRO

 

Fonte: Prefeitura do Rio