Procon autua 18 lojas e descarta mais de 37kg de alimentos impróprios em restaurantes do RioSul

6

Saiu no Extra:

O Procon Estadual fiscalizou, na segunda-feira, o shopping Rio Sul, em Botafogo. Os agentes estiveram em 48 lojas e restaurantes e, no total, 18 estabelecimentos foram autuados. Os fiscais descartaram 37kg e 360g de alimentos impróprios para o consumo nos restaurantes do empreendimento.

Os alimentos descartados foram flagrados nos restaurantes Taiping e Emporium Pax. Entre eles estavam 3kg e 400g de filé de peito de frango, 3kg e 200g de salmão cozido, 4kg e 170g de arroz integral, 3kg e 500g de macarrão, 1kg e 300g de nhoque, 900g de molho agridoce e 770g de ravióli, todos vencidos. O La Mole também foi autuado, porque um exaustor da cozinha estava enferrujado e com falhas na estrutura, sendo suspenso por um plástico.

Segundo o Procon, outro problema aconteceu na loja Rigy, que estampava um cartaz na vitrine com a informação de que os produtos selecionados no interior da loja estavam com desconto de 50%. Entretanto, não havia indicativo dos artigos com abatimento, nem diferença de valor nas etiquetas. A atitude impossibilita que o consumidor saiba se há ou não o desconto prometido.

Não foram encontradas irregularidades nos seguintes estabelecimentos: Foxton, John John, Le Lis Blanc, Anacapri, Beluga, Rosa Chá, Aquamar, Lojas Americanas, Farm, Enjoy, Toscana Frios, Mac, Mr. Cat, Óticas Carol, Armadillo, Farmalife, Contém 1g make-up, Ráscal, Ícaro, Zara Home, Gula Gula, Físico e Forma, Sushi Rio, Outback, Datelli, Richards, Crawford, O Boticário, Boutique do Papel e Mercatto.

A fiscalização fez parte da Operação Número Um, em referência ao fato de o RioSul ter sido o primeiro shopping da cidade, inaugurado em 1980.

Balanço da Operação Número Um:

1 – Folic: Ausência do Livro de Reclamações.

2 – Arte em Casa Decor: Ausência do alvará de funcionamento e do cartaz do 151. Preços não visíveis.

3 – Tommy Hilfiger: Livro de Reclamações não autenticado. Ausência de preço exposto nos produtos.

4 – Odontomar: Ausência de cartaz do Livro de Reclamações e de preços nos produtos expostos.

5 – Lindt: Ausência do alvará de funcionamento.

6 – Taiping culinária japonesa e chinesa: Produtos vencidos: 3kg e 400g de filé de peito de frango, 3kg e 200g de salmão cozido, 2kg e 200g de harussame (salada de macarrão de arroz) e 1kg e 300g de salmão temperado.

7 – Granado: Ausência do alvará de funcionamento.

8 – Dona Xica: Ausência de preços na vitrine e do cartaz do 151.

9 – Ághata: Ausências dos cartazes do Livro de Reclamações e do 151.

10 – Emporium Pax: Produtos vencidos: 4kg e 170g de arroz integral, 3kg e 500g de macarrão, 1kg e 300g de inhoque, 900g de molho agridoce, 770g de ravióli, 600g de extrato de tomate e 310g de queijo gorgonzola. Produtos armazenados sob refrigeração sem especificação da validade: 9kg de queijo mussarela ralado, 4kg de canja de galinha, 1kg e 200g de penne, 750g de espaguete e 760g de mistura de queijo e presunto picados.

11 – HB: Ausências do cartazes do 151 e do Livro de Reclamações e de preços nos produtos expostos.

12 – Siberian: Ausência do alvará de funcionamento.

13 – Liga Retrô: Ausência de preços nos produtos expostos no interior da loja e do cartaz 151. Livro de Reclamações não autenticado.

14 – Rygy: Na vitrine da loja, um cartaz informa que produtos selecionados no interior da loja estão com desconto de 50%. No entanto, no interior da loja, não há indicativo dos produtos selecionados com o desconto, nem diferença nas etiquetas, não permitindo ao consumidor saber se está ou não recebendo o referido desconto.

15 – Espaço Laser: Ausência do Código de Defesa do Consumidor, do cartaz do 151 e do Livro de Reclamações.

16 – Restaurante Ojo: Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros.

17 – K-Za: Ausências do alvará, do cartaz do 151, do Livro de Reclamações e do Código de Defesa do Consumidor.

18 – La Mole: Exaustor na cozinha em estado de ferrugem, com falhas na estrutura e sendo suspenso por plástico.

Fonte: JORNAL EXTRA